O Neoclassicismo

O Neoclassicismo aparece e desenvolve-se sobretudo em França e no norte da Europa no século XVIII, durando até por volta de 1830 que coincide com a morte de David uns anos antes.
A corrente Neoclassicista expressa uma reação da burguesia contra o Rococó e promove algumas das ideias base da revolução francesa, glorificando os grandes feitos e a antiguidade metendo em ênfase os valores imperiais durante o reinado de Bonaparte. A representação do Neoclassicismo transporta-nos à antiga Grécia e a Roma, também devido à descoberta, nessa época, das ruínas de Herculano e Pompeia, e aos murais aí encontrados.
As representações histórico teatrais foram enaltecidas pelo expoente máximo da arte Neoclassicista desse tempo em França, Jacques-Louis David. Outros artistas ficaram conhecidos nesta época, como Gross, Gèrard, Prud´hon e Ingres, alguns deles já com tendência no Romantismo, estilo que não estava longe de vir à tona e que viria a suplantar o Neoclassicismo. Na época Neoclássica a cor passa para segundo plano e o desenho adquire uma perfeição ímpar, com contornos delineados, volumes modelados e a sensação de representação heroica, simétrica e estática, como se de uma representação teatral se tratasse.
 

Marte desarmado por Vénus, 1822/1824, Jacques-Louis David. Museu real de Belas Artes, Bruxelas.